Reserve Agora logo

Safári na África – Um roteiro de luxo entre Quênia e Tanzânia

Regina Simões| Ago 21, 2012 | Onde ficar , O que fazer

A nossa querida amiga e leitora Regina Simões nos presenteou esta semana com um roteiro incrível na África, passando pelo Quênia (Kenya) até chegar à maravilhosa Tanzânia, onde conheceu dois dos melhores pontos para se fazer safári no continente, a Área de Conservação Ngorongoro e sua cratera gigante e também o Parque Nacional de Serengeti. Vejam os detalhes dessa experiência, com lindas fotos!

Programação ideal de um safari na Tanzânia:
O objetivo de uma viagem à Tanzânia é justamente a observação dos animais, então o ideal é fazer 2 safáris por dia, sendo o primeiro de dia, 8hs da manhã, e o outro no fim da tarde, as 17hs, já muito frio, e com todos os participantes munidos da sua lanterna.

Temperatura em abril no Quênia e Tanzânia:
Muito frio pela manhã e à noite. Calor durante o dia.

Melhores períodos para se fazer safári na Tanzânia:
Abril e maio são os melhores meses para curtir a Tanzânia, pois como é período de migração, atrai milhares de animais.

 

 

Binóculos – Essencial levar o seu num safári: 

Ao preparar sua viagem à África, compre um bom binóculos, se ainda não tiver um! É difícil encontrar um bom modelo por lá, e em alguns lugares, nem vende! Embora digam que dão binóculos no jipe, na verdade eles emprestam o dos próprios guia e não tem pra todo mundo. Você ficará sujeito ao sistema de rodízio! Sugiro o binóculos da marca Laica, que é muito bom. O modelo da foto é o 10X32 BN, mas há diversos!

Também é bom saber que nos locais dos safáris, não pega telefone! Apenas na recepção do hotel, que tem telefone e internet. Então prepare-se para desconectar-se um pouco!

Passaporte:
O passaporte deve ter validade mínima de 6 meses para entrar nos países africanos. E para quem vai entrar na África do Sul, o passaporte deve conter, no mínimo, 2 páginas consecutivas em branco.

 

Visto:
Não é necessário visto para brasileiros que ficarão até 90 dias na África do Sul. Já para entrar no Quênia (Kenya) ou Tanzânia, é necessário visto e o mesmo é obtido no local do desembarque, mediante pagamento de uma taxa no valor aproximado de U$ 70,00 (setenta dólares).

 

Vacina:
É necessário o Certificado Internacional de Vacina contra febre amarela, com carência de 15 dias.

Como chegar no Quênia e Tanzânia partindo do Brasil:

Saí num vôo da South African Airlines de São Paulo com destino a Johanesburgo, que durou 8:30horas e em seguida peguei um vôo com duração de 4 horas para Nairóbi num avião pequeno. Como Nairobi é uma cidade grande, limpa, porém sem cor e sem muita beleza natural, fiquei lá por apenas uma noite, hospedada no Hotel Norfolk e no dia seguinte já voltei ao aeroporto de Nairobi para embarcar num vôo charter com destino à pista aérea de Manyara, na Tanzânia. Lá começaríamos a entender a selvagem África.

TANZANIA

1. Área de Conservação Ngorongoro

Fiz a viagem de Nairobi até a Tanzânia num pequeno avião de vôo baixo até chegar à Área de Conservação  Ngorongoro, um lugar lindíssimo, com uma cratera de vulcão gigantesca chamada de Cratera Ngorongoro. É uma verdadeira abundância!

A Cratera de Ngorongoro, que ocupa uma área de 326km2 e aproximadamente 20km de diâmetro,  abriga milhares de animais selvagens, em perfeita harmonia com a natureza. Como nunca houve intervenção humana, presas e predadores vivem em equilíbrio e se enfrentam diariamente, de acordo com as leis da natureza. Um exemplo disso é que apenas elefantes machos habitam a cratera, já que as fêmeas preferem manter as crias longe dos predadores.

Dentro da Cratera Ngorongoro, além das planícies, há pântanos, lagos e até mini florestas tropicais, o que permite o abriga de um cem número de espécies, que habitam ecossistemas distintos.

Uma das imagens mais conhecidas da Área de Conservação Ngorongoro é o lago cheio de flamingos, dando o seu toque rosa na imensidão verde e laranja da África!

Hospedagem: 

Ngorongoro Crater Lodge é um hotel de luxo em meio à natureza, localizado dentro da própria Área de Conservação Ngorongoro. Montado numa antiga casa inglesa, recepção com toalinhas e doses de Amarula, quartos com lindos cortineiros, banheiras com pétalas de rosa e água morna, e uma vista incrível do quarto para as savanas, com tudo aberto para se ver de binóculo os animais. Para completar a mordomia, eles buscam no quarto a sua roupa usada no safári e lhe trazem no dia seguinte limpa e passada! Se estiver na dúvida sobre quantos dias ficar nessa região, posso afirmar que 3 noites em Ngorongoro é mais que suficiente.

O que vi por lá – Imagens do primeiro safári na África: 

Fazia safári pela manhã e no fim da tarde todos os dias. Vi mais de 1000 búfalos, inclusive um parto de búfalo me marcou muito. Também vi leoas matando um búfalo, tirando os pedaços de carne e deixando para o leão, que vinha comer o alimento limpo e “preparado” especialmente para ele. Ainda tinha milhares de pássaros coloridos, sendo maravilhoso para observação de pássaros. Inúmeros flamingos, girafas aos montes e manadas de elefantes.

O povo Masai também vive nas mediações da cratera e é possível conhecer o modo de vida deles. Usam um pano vermelho para cobrir o corpo. Andam com umas varetas na mão e nenhum animal avança neles. Eles ficam protegidos. As mulheres constroem as casas de 1m de altura, com fogão e tudo…e ainda fazem artesanato para vender. Os homens se preocupam em conseguir comida para a família e cuidam do gado. Vale a pena a visita às tribos.

2. Parque Nacional de Serengeti:

Serengeti, na liguagem dos Masai significa “grandes planícies” e são justamente essas planícies que compõem a vasta área do Parque Nacional de Serengeti. O destaque do Serengeti é que ele abriga mais de 35 espécies de mamíferos, como leões, hipopótamos, girafas, leopardos, elefantes, búfalos, hienas, etc..além de centenas de espécies de pássaros. Também há algumas tribos de Masai na região.

É bom saber que Ngorongoro tinha muito mais animais, mas foi no safari do Serengeti que vi muitos leões de perto, girafas, e gnus! Além do mais, o verdadeiro destaque do Serengeti era a energia maravilhosa, por conta das pessoas extremamente simpáticas e da natureza exuberante do local.  Parece que você está num outro mundo!

Hospedagem:

Klein’s Camp, localizado dentro do Parque Nacional de Serengeti, foi o hotel que mais gostei na viagem. Apesar de menor e menos luxuoso do que o Ngorongoro Crater Lodge, o ambiente do Kleins e o atendimento eram excelentes. 2 noites por lá é suficiente para apreciar as belezas do local e avistar muitos animais.

Dica de compras na Tanzânia:
Além do lindo artesanato local, com colares, máscaras e outros objetos, as tanzanitas, que são pedras precisosas com um tom de lilás belíssimo, fazem a alegria das que adoram jóias!

E para reafirmar o amor a algo ou fazer uma saudação, aprendi na África a dizer Hakuna Matata!

What a wondeful phrase!…como já diziam Pumba e Timão no desenho animado “O Rei Leão”.

Que viagem linda hein Regina! O Voali amou a sua contribuição!!!

Obrigada 🙂

Tags:

Comentários

Deixe uma resposta

  • Lecio Narciso

    dez 03, 2013

    Olá Regina! Parabéns pela bela viagem! Você viajou sozinha ou com alguma operadora? Estou planejando essa viagem para o primeiro semestre de 2014. Mais alguma dica especial? Obrigado!

    Responder
    • Priscila Reis

      dez 09, 2013

      Lecio, Tudo bem? A Teresa Perez, a Selections e a Matueté são agências de turismo especializadas em roteiros especiais. Regina viajou num grupo particular, mas acredito que qualquer delas poderá te ajudar. abraços Priscila

      Responder
    • Pedro

      jan 03, 2014

      Lécio, Estou indo para a tanzania no próximo dia 8 por uma operadora de são paulo. Prá lá quase não há hoteis que aceitem reservas diretamente do cliente, quase todos eles preferem indicar uma operadora. Optei pela operadora porque como queria conhecer alguns parques, me pareceu melhor ir com uma operadora especializada. Mas se vc preferir comprar diretamente, sei que há um Four Seasons no Serengueti que aceita reservas e creio que a rede Serena que possui vários lodges na Tanzania e no Quênia também aceitam reservas diretamente do cliente final. Em 2012 fui para o Masai Mara no Quênia e também fui pela South Africa Airlines para Nairobi, pernoitei no Fairmont Norfolk e fui para o Mara Safari Club, também da rede Fairmont. Fiz a reserva diretamente com o Hotel e a concierge me ajudou a comprar a passagem pela AirKenya para Ngerenge, a pista de pouso no Masai Mara. Depois de uma semana lá, fui para o Amboseli National Park. A concierge do Fairmont me indicou uma operadora local para comprar um pacote de duas noites no Amboseli, que é um parque aos pés do Kilimanjaro com um lago do periodo plestoceno e que é uma reserva de elefantes. muito interessante! A viajem valeu cada centavo que gastei!!! Uma dica é usar os pontos do programa fidelidade da tam para emitir passagens pela South Africa ou pela Ethiopian Airlines. Para o continente africano não é tão complicado conseguir passagens com pontos como é para a Europa ou America do Norte. Mas se for usar os pontos corra porque a tam deixará a Star Alliance em março deste ano. Se até lá vc conseguir emitir seu bilhete, ele terá validade de até 1 ano. Abraços Pedro

      Responder